NRF 2021 – CHAPTER 01 – DAY 2

Compartilhe esse post

Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

“Forward Together” (Juntos à Frente) é o tema Retail’s Big Show 2021, maior evento de varejo do mundo, promovido anualmente pela National Retail Federation (NRF) que teve seu início nesta manhã de Terça-Feira (12 de janeiro). O evento foi dividido em dois momentos, “Chapter 1” (Capítulo 1) está ocorrendo de maneira 100% virtual e no mês de junho existe o planejamento para o “Chapter 2” (Capítulo 2) que ocorrerá de forma presencial.

Para o segundo dia de evento, fomos presenteados com uma belíssima palestra da ex-presidente e CEO da PepsiCo Indra Nooyi, uma das grandes líderes empresariais de nosso tempo para falar sobre liderança e “disrupção”. Indra começou falando sobre o ambiente em que estamos, extremamente desafiador em diversos níveis e como é para um líder empresarial operar nesse tipo de ambiente. Ela diz que talvez esta seja uma das épocas mais difíceis que já presenciou no mundo, em que você tem uma crise de saúde, uma crise econômica e uma crise política ao mesmo tempo.

Compartilhou que o maior aprendizado na pandemia e a primeira coisa que os líderes precisam e deveriam fazer é se tornarem alunos, voltar e estudar exatamente qual é o problema, ter certeza de que entendeu o suficiente para ser capaz de parar os cientistas, para poder falar com seus líderes empresariais e com todos no país. Deixar que a ciência lidere.

A segunda experiência durante a pandemia, foi simplificar o complexo, os cientistas têm uma maneira de tornar tudo muito complexo, o papel dos líderes de negócios é simplificar o complexo sem ignorar a complexidade. O terceiro aprendizado, tragam os especialistas, tragam todos os especialistas. Não hesite em ligar para as pessoas quando precisar delas.

Com tantas mudanças, Indra compartilhou sua visão sobre de como o consumidor sairá de tudo isso e como as empresas deveriam se articular. Ela acredita que o que a pandemia fez foi acelerar todas as tendências que aconteceriam ao longo de vários anos.

O crescimento que obtivemos em 2020 era algo que esperávamos fazer em 2023 e 2025. Desta forma, acelerou toda essa tendência em dois ou três anos. Um bom exemplo é a telemedicina que tinha uma curva de adoção mais lenta, no entanto esse processo foi forçado a ser acelerado porque não podíamos ir até o consultório médico.

Na visão dela existem dois cenários possíveis, um cenário é dizer que a tecnologia continuará melhorando e essa aceleração vai ganhar força. Veremos uma tendência maior de compras online ou um cenário B, que realmente é onde ela acredita que vai chegar. Os consumidores estão cansados de fazer coisas na tela em zoom meetings do dia a noite. As pessoas estão morrendo de vontade de ter conversas, conversas reais, de estar juntas, ela mesmo diz ter de vontade de apertar a mão das pessoas, dar um abraço e de interação presencial.

Veremos um grande rejuvenescimento do varejo. Locais para nos reunirmos com amigos, viagens, lazer, teatros, restaurantes e shows. A tecnologia vai permitir que mais coisas aconteçam nesses lugares, mas não vai tirar ou acabar com a interação humana e foi categórica em afirmar que há uma demanda reprimida, como ela nunca viu antes e quando esse momento chegar, vai ocorrer do dia para noite.

Muitas partes da nossa vida foram interrompidas ou completamente alteradas devido a pandemia, foi preciso repensar as cadeias de suprimentos, repensar nossa agilidade, repensar a inovação e neste momento ela faz uma reflexão, “será que precisamos de tanta inovação?” Realmente há muita inovação nas prateleiras.

Talvez a inovação que ela mencione deva estar em outros momentos da cadeia, na Pepsico estão transformando o portfólio para fazer uma oferta mais saudável. Ela completa, veja a pandemia, por exemplo, as pessoas que foram mais afetadas pela pandemia foram pessoas com grandes comorbidades, seja diabetes, obesidade, seja o que for. Então, se não trabalharmos para tornar nossa população mais saudável. Acho que pagaremos um preço muito alto.

Portanto, é muito importante que nos concentremos na melhoria da qualidade do suprimento de alimentos e em orientar os consumidores para as escolhas certas, temos que pensar em como dar incentivos à agricultura, da mesma maneira como fazemos para a nutrição.

A pandemia nos mostrou que temos que pensar em alimentos mais saudáveis, uma vida e alimentação mais saudável. Outro ponto é que é que vemos muitas pessoas afetadas com asma, com doenças cardio-cardiopulmonares, e isso é resultado de como interagimos com a natureza. A falta de vegetação, a falta de ar puro, o fato de que tratamos nossos animais de uma forma não tão cuidadosa.

Ela diz que existe a real necessidade de nos concentrarmos no meio ambiente e caso não façamos isso, estaremos menos preparados para enfrentar a próxima epidemia ou pandemia. E isso significa reduzir o uso de plástico, reduzir a emissão de gases, pensando realmente em água limpa.

No novo mundo do varejo, pós pandemia, haverá espaço para tanta variedade? Qual será a forma da inovação, pois houve muita inovação nas prateleiras, Indra Nooyi acredita que é a hora de dar um passo para trás, e repensar como colocar em prática um tipo de inovação mais voltado para a saúde, repensando a interação entre produto e embalagem e impacto ambiental. Cabe também a cada empresa pensar em como vai cuidar de seus funcionários e permitir que integrem trabalho e família.

Uma palestra com muito otimismo, nos convidando a voltar para “escola” neste momento de desaprender para voltar a aprender.

Mais conteúdo POP

Já conhece o
MCE POP Trade?

Seu trade mais pop, tecnológico e inteligente